Cercas de Arame Farpado

Tipos diferentes de arame farpado

O arame farpado foi criado nos Estados Unidos, no final do século XIX, por um fazendeiro que viu uma cerca de arame normal com tábuas pontiagudas para impedir a fuga do gado e resolveu aprimorar a ideia. Feito com dois fios de aço entrelaçados entre si, ele forma um cabo reforçado que possui farpas pontiagudas em direções distintas, com intervalos entre uma e outra. 

Sucessor das cercas vivas, as plantas com espinhos que serviam de segurança em propriedades, o arame farpado é usado até os dias atuais, principalmente em áreas externas, como método de segurança em muros e grades, e na confecção de cercas em áreas rurais. 

Este tipo de arame pode ser encontrado em diferentes espessuras para necessidades distintas de contenção e, geralmente, tem a duração de, pelo menos, dez anos, salvo em caso de acidentes. Seu uso é ideal para a confecção de cercas em áreas montanhosas, com curvas ou de difícil acesso por permitir desníveis sem comprometer a estrutura e ainda apresenta menor custo. 

Popularizada a partir da década de 2000, a “concertina” ou “cerca ouriço” , é uma versão urbana do arame farpado. Ela é feita de aço galvanizado e era usada originalmente em campos militares. Possui formato espiralado com lâminas pontiagudas, que podem causar cortes profundos. 

Atualmente ela é utilizada para a segurança urbana de casas, condomínios e espaços empresariais. A principal diferença entre a concertina e o arame farpado está na fabricação: o arame recebe farpas após a confecção, enquanto a concertina tem as lâminas fabricadas juntamente com o fio. Além disso, a instalação da concertina tem de ser feita com bastante cuidado, principalmente quando não há experiência. Neste caso, é recomendado pedir o auxílio de um profissional. 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Open chat
Posso ajudar?